Arquivo da categoria: Imprensinha

As empresas que sustentam o “jornalismo” da Jovem Pan

A maioria das empresas que investem em propaganda na mídia demonstram se focar quase que somente na audiência para escolher seus parceiros comerciais. Se esquecem da grande responsabilidade que tem nas mãos, já que incentivam os seus patrocinados a continuarem percorrendo o mesmo caminho em que estão.

A rádio Jovem Pan, que ataca constantemente o Palmeiras sem motivos justificáveis, é uma das beneficiadas por essa mentalidade inconsequente. As empresas que optaram por incentivar essa rádio a continuar com seu estilo estão listadas abaixo:

Caixa Econômica Federal:

Contato

Lojas CEM:

propaganda@lojascem.com.br

sac@lojascem.com.br

Volkswagen:

Contato

Dreher:

camparibrasil@campari.com

Brahma:

sac@brahma.com.br

Epocler:

sacwy@wyeth.com

Essas companhias fizeram suas escolhas, e nós também podemos fazer as nossas, ao privilegiar produtos e serviços que não patrocinam esse tipo de jornalismo.

A lista será atualizada mensalmente, até que a postura da rádio mude. E aos poucos vou melhorando a organização dela. Pretendo inserir também as alternativas de produtos/serviços semelhantes que a concorrência oferece.

Para finalizar, recomendo à todos a leitura do post do Forza Palestra que fala sobre marketing no esporte.

Créditos ao Alemão por encontrar os canais de contato.


Para começar bem 2009

O ano de 2008 terminou de forma triste para nós palmeirenses não só pelo desempenho do time em campo, mas também pelo anúncio do fim das atividades do excelente blog Observatório Verde, que era um dos mais influentes da nossa mídia palestrina.

obverde_760200111

Valeu, OV!

Surgiu então a idéia de abrir um novo espaço para que pudessemos continuar analisando a atuação da imprensa esportiva e cobrando dela mais qualidade e honestidade na cobertura dos campeonatos e dos clubes de futebol. A sugestão foi logo apoiada por muitos dos outros frequentadores e também pelos próprios administradores do OV.

Nasce assim o blog OBSERVATÓRIO ALVIVERDE, que vai ser comandado pelo jornalista Alcides Drummond, mais conhecido como Esmeraldino.

Fica o convite para que todos ajudem na construção desse novo espaço verde. Faça uma visita e deixe o seu comentário por lá. O endereço é:

http://observatorioalviverde.blogspot.com

oav


“Populismo gambá” em edição turbinada

Foi comentada por muitos a transmissão de Sport x Corinthians, a final da Copa do Brasil, por Cléber Machado e equipe. A sensação é que houve uma clara parcialidade em favor de um dos times. Não assisti o 1º tempo do jogo, mas alguns relatos dão conta de que a narração dos gols do Sport não foram dos mais entusiasmados. Percebeu-se também a utilização de diversos números estatísticos, quase sempre favoráveis ao time da marginal. E o pior de tudo, a manipulação do som ambiente do estádio, conforme escreveu Julio Moreira, no site Blue Bus*:

TV Globo falsifica o áudio do futebol para agradar corinthianos

‘Nao pára, nao pára, nao pára!’ Este era o canto da torcida organizada do Corinthians que se ouvia ontem à noite, durante o início da transmissao do jogo pela TV Globo. Pelo menos aqui em Sao Paulo.

Mas veja, o Estádio da Ilha do Retiro tem capacidade para 36 mil pessoas, das quais 35 mil eram torcedores do Sport e apenas 1000 torciam para o Corinthians. Como entao o canto da torcida era corintiano?

Tecnologia e engenharia de som. O áudio foi captado e divido em 3 canais – o do narrador, o da torcida do Corinthians e o geral do estádio. Entao, o diretor técnico aumenta o volume do canal da torcida do Corinthians e diminui o volume geral do estádio. Isto cria no telespectador a falsa idéia de que a torcida no estádio é do Corinthians e ajuda a audiência, aqui em Sao Paulo, onde a maioria da populaçao é corinthiana.

Esta forcinha da técnica durou até o primeiro gol do Sport, pois entao, a esmagadora torcida do Sport foi ao delírio e aí nao houve técnica que ajudasse o torcedor do Timao. Ainda mais depois do segundo gol.

A transmissao do futebol é uma operaçao JORNALISTICA, realizada pelo departamento de jornalismo esportivo. Nao se pode falsear o áudio do estádio. Nao é ficçao, nao é dramaturgia. É jornalismo.

A TV Globo foi convidada pelo Comitê Gestor das Olimpíadas de Pequim para gerar as imagens do Volei de Praia. Este convite foi feito pela sua reconhecida competência técnica. Nao pode, ou melhor, nao deve, colocar em risco este reconhecimento para turbinar a audiência de um jogo. É pequeno, nao precisa.

* O Blue Bus [ www.bluebus.com.br ] é um site especializado em mídia.
Agradecimentos ao autor por ceder este artigo ao Palmeiras Let’s Gol!


Gol de mão? Pênalti? Vantagem? Falta do atacante!

Uma parte da imprensinha está querendo legitimar o irregular gol de mão da Imperatriz Leonordinense. Para isso, estão usando um vídeo da torcida do São Paulo que destaca uma puxada de camisa do zagueiro verde em cima do atacante tricolor. Veja na imagem abaixo:

Seria então pênalti a favor delas. Acontece que, mesmo em penalidades, existe a lei da vantagem, e a imperatriz conseguiu se desvencilhar de Léo Lima, que o marcava. Portanto, segue a jogada. O problema é que ninguém da imprensinha notou esse detalhe.

Se não bastasse isso, “esqueceram” de observar que o zagueiro palmeirense, antes de puxar a camisa, é empurrado pelo adversário. Observe:

Importante frisar que o jogador de verde iria acompanhar o tricolino por toda a jogada, mas não conseguiu, justamente pelo empurrão que sofreu.

Então, antes do tal pênalti, o correto seria anotar a falta do atacante. Ou numa outra análise, concluir que houve um empurra-empurra mútuo, comum em lances de cruzamento na área. Desse modo, a jogada seguiria normal e, após o gol de mão, seria anotado gol irregular, pois o esporte naquele momento não era vôlei. E ainda por cima, a Imperatriz receberia cartão amarelo pela falta de “Fair Play”, pois ludibriou a arbitragem ao burlar uma das regras do jogo.