Como espantar o torcedor

Após quatro partidas pelo Campeonato Brasileiro, o ambiente que tinha tudo para ser o melhor possível após o título paulista, numa comunhão de time e torcida em busca do título do Campeonato Brasileiro, o mais importante do ano, está sendo destruído, graças as últimas decisões da diretoria que envolvem diretamente a torcida que comparece ao estádio.


Palestra Itália num dia de pouco público

Vamos tomar como exemplo o jogo de ontem: Palmeiras x Atlético-PR, no estádio Palestra Itália.

A jornada do torcedor já começa com um obstáculo bastante inconveniente, que é o horário do jogo: 18h10min em pleno domingo.

Para quem não mora perto do estádio, o jogo se torna praticamente a última coisa que se fará no dia, já que terminará por volta das 20h. Para retornar até sua casa, esse torcedor levará 1 hora ou mais no percurso, de acordo com a distância. Como o torcedor que comparece, provavelmente trabalha ou estuda no dia seguinte, para poder pagar os preços aburdos dos ingressos, normalmente terá de acordar cedinho no dia seguinte. Então a única saída é chegar em casa e cair na cama. Além disso, é muito melhor assistir o jogo com luz natural, em que comumente temos o bom e velho sol para esquentar a tarde (é claro que ontem não foi o caso).

E não bastasse os clubes se sujeitarem a esses horários criminosos que a televisão impõe, agora estamos em frente a uma barreira difícil de transpor: o preço abusivo (e burro) das entradas, onde uma arquibancada custa 30 reais, uma das mais caras do país. E é claro que a torcida protestou mais uma vez.

Nem é preciso explicar o porque de ser um preço ‘burro’, basta reparar nos públicos das três partidas que ocorreram na cidade de São Paulo durante o campeonato:

  • contra o Inter/RS, onde compareceram 10.000 pessoas. A diretoria extrapolou nos preços colocando a arquibancada a R$40,00, e falou abertamente que era uma tentativa de ‘selecionar‘ o público das partidas.
  • no Pacaembu, contra a Portuguesa, onde foi divulgado um público pagante de pouco mais de 6.000 pessoas. Só que como houve a ‘quebra’ de algumas catracas, ‘não conseguiram’ contar corretamente. Então, pelo visual, podemos estimar o público em mais ou menos 10.000 torcedores.
  • o terceiro e último jogo na capital foi o de ontem, e é claro que não podemos ignorar que o frio e a chuva que dominou o fim de semana espantaram o torcedor. Mas se o dia estivesse aberto, com esses preços não acho que passaria dos 15.000 pagantes, o que seria muito pouco se compararmos a qualidades dos times desse ano e o do ano passado, que frequentemente levava mais de 23.000 pessoas ao Palestra.

Eu tenho uma opinião, da qual muitos concordam, de que uma torcida de futebol é muito mais do que simples expectadores que observam a partida. A ajuda que ela dá não é somente com a grana da renda. Um estádio lotado cria um clima totalmente diferente. Uma torcida que canta alto motiva os jogadores e abafa alguns (não são todos) chatos da numerada (e alguns da própria arquibancada) que só sabem criticar e vaiar, o que deixa os jogadores inseguros. Será que num Pacaembu lotado e empurrando o time para a vitória, os jogadores seriam tão displicentes quanto foram no jogo contra a Portuguesa?


O Palestra como deve ser

É por tudo isso, que são inadmissíveis os públicos dos últimos jogos do Palmeiras. É obrigação da diretoria propiciar as situações adequadas para que a torcida lote o estádio em todos os jogos. Mas parece que isso é pedir muito, então que pelo menos revejam essa política de preços, que está prejudicando o clube no que se refere às rendas dos jogos.

Anúncios

3 respostas para “Como espantar o torcedor

  • marcelo gusmao

    torcida palmeirense,eu sai de londrina no parana e encarei o frio e a chuva para conhecer o palestra,na bagagem levei espoza e meu filho de 11 anos,uma vitoria,ele entrou de maos dadas acleber camisa 10 no campo,ficou louco de emocao.tristeza nao tenho nenhuma foto dete momento com o time,gostaria se alguem tiver alguma me envie.mgusmaop@hotmail.com

  • Vitor Mv

    Esse texo é exatamente o que todos nós pensamos, como escrevi no blog do Barneschi, o jogo de ontem estava parecendo jogo do JUVENTUDE, com um pequeno publico e um frio do caralho!!!Lá ainda tem mais barulho hein!!!
    Essa diretoria maldita ta criando um estádio “fantasma” onde o time adversário não sente pressão nenhuma e nosso time não sente nenhuma vibração e incentivo das arquibancadas!!

    Chega de palhaçada!!! R$ 20,00 é o preço e não tem discussão!!!
    Abs,

  • Barneschi (Forza Palestra)

    Rafael,

    Sua análise é perfeita. Essa diretoria consegue estragar todo o ambiente positivo que deveria existir entre time e torcida. É lamentável que aconteça no momento atual.

    Abraços

%d blogueiros gostam disto: