Contando os prejuízos

Veja a ficha técnica de Palmeiras 2×1 Internacional:

Local: Estádio Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data: 18 de maio de 2008 (domingo)
Renda: R$ 377.412,00
Público: 10.081 pagantes

O prejuízo financeiro

Fazendo uma continha simples, chegamos a renda média por torcedor que compareceu no jogo de hoje: R$37,44. Caso o senhor Ebem Gualtieri não tivesse a brilhante idéia de elevar os preços dos ingressos (com base em argumentos preconceituosos e elitistas) para valores fora da realidade do torcedor brasileiro, poderíamos ter a seguinte situação:

Com preços iguais aos de 2007, a metade do valor atual, o Palestra Itália se entupiria de gente. Então, multiplicando as 27.685 entradas colocadas à venda, pela metade da renda média por torcedor, chegaríamos a uma renda total de R$ 518.263,20. Seriam quase 141 mil reais a mais na renda do jogo!

É claro que com um público maior, a proporção de ocupação dos diversos setores do estádio seria diferente, resultando em algumas diferenças nos valores. Mas para o que estamos mostrando aqui, isso não se faz relevante.

 

O prejuízo ao espetáculo

Acima das cifras perdidas, está todo um prejuízo causado à torcida e a diferença que ela faz ao espetáculo quando comparece em massa. Ao acompanhar os melhores momentos do jogo, ficou a sensação de um jogo morno, sem a empolgação e o clima que uma partida dessas deveria ter.

 

Se manda, Ebem Gualtieri!

Com tudo isso que aconteceu, fica claro que Ebem Gualtieri não tem as mínimas condições de cuidar desse importante assunto no clube, que são os ingressos para os jogos. A atual diretoria do Palmeiras, que vem fazendo um ótimo trabalho, deve assumir esta responsabilidade e tirar todos os poderes que essa pessoa possuí. O tratamento ao torcedor deve se tornar uma prioridade para o clube, pois é a torcida que faz o clube ser o que é. E ter o estádio sempre lotado deve se tornar um objetivo tão grande quanto conquistar títulos.

Anúncios

6 respostas para “Contando os prejuízos

  • Como espantar o torcedor « Palmeiras Let’s Gol !

    […] que isso é pedir muito, então que pelo menos revejam essa política de preços, que está prejudicando o clube no que se refere às rendas dos […]

  • Coruja

    ok, velhinho!Mas eu falava é justamente desse aperto de mão. Quem a estendeu foi o Remember 42. O caráter que cheira à venalidade no clube não é o preço dos ingressos.

  • Rafael Let's Gol!

    É, parece mesmo que o processo está em andamento, e se expandindo. Agora é a vez do Santos, cobrando também R$40,00 por uma partida de quartas-de-final, onde o time está em grande desvantagem e necessita do apoio da torcida.

    Sobre a “reconciliação”, não tenho uma opinião formada por não ter detalhes do que foi acertado. De momento, acredito que seja mais (mas não somente isso) um teatrinho pra imprensa.

    Não concordo quando você diz que o Palmeiras tenha sido vendido. Veja você que, até a semana passada, eu havia gostado da imensa maioria das ações da atual diretoria. Acredito que é possível (e necessário) evoluir, sem que seja necessário perder o espírito. Mas essa última ação (aumento dos ingressos), vai contra a mentalidade que vinha sendo seguida até aqui. Por isso também começo a acreditar que seja parte de algo maior, visando a Copa 2014. É só ver que o aumento de ingressos em diversos lugares, a proibição de bebidas no estádio e até no entorno dele, tem apoio da FPF e da CBF. E conta com o conivência de grande parte da mídia, e desse público de Cirque du Soleil. E o povo é passivo por ser alienado ao conhecimento. Não tem consciência do mal a que estão sendo submetidos.

    A luta nunca acaba!

  • Coruja

    O negócio é mais embaixo, talvez. Vi isso agora, com a úrtima. Talvez a gente tenha sido levado a ficar brigando entre a gente enquanto eles aceitavam um tapinha nas costas de Madame, sem ninguém ver ou reclamar. Estou deixando meu depoimento no seu blog, porque acho que você entendeu o que eu disse. Não tive condições de comentar nada lá no Cruz, não sou de acreditar em teorias da conspiração também. Mas é mais fácil dividir seus oponentes do que enfrentá-los. Sun-Tzu (livremente citado). Os vendidos apertaram as mãos entre eles, as de Madame depois. Quando soubermos quanto isso está custando… meu medo é que antes disso tenhamos que pagar o preço. O Palmeiras campeão parece que serviu para essa gente como solvente, querem descolar o clube de sua história, internacionalizá-lo e projetá-lo, eliminando os problemas internos, as minorias que, nesse país, são as maiorias sem voz.

    A discrepância não passa na Globo, na CNN, na BBC. Passa na Al Jazeera, mas essa é outra conversa pra um boteco. Uniformizar um conceito, uma paixão, uma direção somente voltada para o futuro: todo resto será carpido, feito ervas daninhas entre ruas de parreiras, ao fio da enxada, ao amanhecer. Dinossauros somos nós que discordamos.

    O Palmeiras foi vendido, e não sei se tem volta, porque o mundo foi também. O público passivo, imensa maioria, vai ter muito do que sorrir, sem comer carne. O Palmeiras vai ser campeão – muitas vezes, arrisco dizer, num curto espaço de tempo. Se tudo der certo. O resto entra para os livros de História…

    Não é mais a Academia vencendo com elegância e esmero, traduzindo o caráter de um povo. É o circo de Soleil, a R$150,00. São banheiros limpinhos e áreas para não-fumantes. É a turma do Seeeeeenta! É do pessoal que prega que Direitos Humanos é coisa boa pra bandido. É a turma que é da Paz, só quando morre um filho deles. Os pais deles torturaram alguém, ou se exilaram da tortura: parece que tanto faz, eles não ligam pra isso. São cadeiras numeradas e cartazes para Galvões Buenos.

    O primeiro baque foi no Maior do Mundo, quando assassinaram o Geraldino. Tudo mais é consequência de um povo que sempre aceitou tudo passivamente, por bondade ou egoísmo.

    Torcer é o que nos resta, pagar quando pudermos. Eles fecharam as outras portas. No mais é isso, amico, voltaremos a qualquer momento em edição extraordinária.

  • Rafael Let's Gol!

    Acabei de ler lá. Aquele detalhe que você levantou é interessante. Pra chegarmos a um valor médio de 37 reais, muita gente deve de ido de meia-entrada para compensar os preços ainda mais salgados das numeradas.

    E basta dar uma olhada nos ‘parpites’ que o pessoal fez lá no Parmerista, para ver que muitas pessoas previam que o público seria esse mesmo. Quer dizer, estava na cara que teríamos este prejuízo aos cofres do Palmeiras e ao espetáculo.

  • Coruja

    Nossa, xará, isso ficou engraçado: concordamos em gênero, número e grau – fiz exatamente a mesma análise lá no Cruz! É isso aí, se o boicote parece um exagero, não precisa dele: é só dar um pé num administrador que só traz prejuízo ao clube.

%d blogueiros gostam disto: